20/06/2020, sábado, às 19h - Encontro digital  sobre "Autogoverno zapatista e anarquismo: afinidades eletivas" com Cassio Brancaleone (professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), autor de diversos livros, dentre eles: Anarquia é ordem: reflexões contemporâneas sobre teoria política e anarquismo e Teoria Social, Democracia e Autonomia)

Acesso pelo caminho www.youtube.com/centrodeculturasocial

27/06/2020, sábado, as 19:00 h – Conversação digital "Gritos do Subterrâneo: arte punk e as sonoridades do ressentimento em revolta" por João Augusto Neves, Professor de História ETEC Pedro Ferreira Alves, Doutorando em História (IFCH/UNICAMP) e Cineclubista.
Os ruídos do ressentimento em revolta nas sonoridades punk. Performances punks e os sentidos das violências na Região Metropolitana de São Paulo. A partilha e o conflito dos sentimentos subterrâneos nos fluxos globais de poder no final do século XX.

Acesso pelo caminho www.youtube.com/centrodeculturasocial

 

04/07/2020, sábado, às 19h - Encontro digital com Ivan Ribeiro, historiador integrante do ACR (Anarquistas contra o Antiracismo) sobre "Antirrascismo, anarquismo e negritude...desafios e possibilidade no trajeto do A.C.R – Anarquistas Contra o Racismo) de 1993 a 2020".

Acesso pelo caminho www.youtube.com/centrodeculturasocial


04/07/2020, sábado, as 19h: Conversão digital "Antirracismo, anarquismo e negritude...desafios e possibilidade no trajeto do ACR (Anarquistas Contra o Racismo) 1993 a 2020" com Ivan Ribeiro, anarcopunk, historiador integrante do ACR
Narra os quase 30 anos do ACR, nascido no movimento anarcopunk  em 1992,  Chegou a ter 6 núcleos confederados pelo brasil. Com longa trajetória no movimento anarquista. Buscando criar pontes junto aos movimentos sociais e étnicos diversos: negros, LGBTs, direitos humanos, mulheres, pessoas com deficiência, defesa animal, garantia de direitos dentre outros. Temas hoje em voga como homofobia, racismo, identidade étnica, antifascismo, lugar de fala, já faziam parte de nosso cotidiano desde aquela época. Visa desmistificar o anarquismo e a cultura punk, junto aos pares de luta, "desentocar" a cena punk para um contato efetivo com movimentos, cenas e coletivos distintos de nossa cultura e ideologia, pavimentando uma mão de duas vias, onde aprendíamos no convívio com tais coletivos.

Acesso pelo caminho www.youtube.com/centrodeculturasocial

Debate "Visões da Utopia: imaginário e pensamento político na imprensa operária brasileira (1922-1935)" com Leandro Ribeiro Gomes, professor de História da Rede pública e doutor em História pela UNESP